Dias Desiguais

A editora Labirinto, apresenta na Festa do livro de Fafe, a sua última novidade editorial, dias desiguais, de João Ricardo Lopes.
João Ricardo Lopes (n. 1977) integra a novíssima geração de poetas portugueses.
Publicou em 2001 a pedra que chora como palavras (Prémio Revelação de Poesia Ary dos Santos) e Além do Dia Hoje 8 Prémio Nacional de Poesia da Vila de Zânzeres), seguindo-se-lhe contra o esquecimento das Mãos, em 2002.
O seu quarto livro, dias desiguais, pode ler-se como a síntese dos anteriores, combinando o fascínio pela metapoesia com um olhar irónico, mas também pessimista, sobre o Homem e o Tempo, aspectos entre si menos contraditórios do que complementares...

No posfácio, Pompeu Miguel Martins diz que

«...a importância deste autor, no panorama
da nova geração de poetas portugueses, reside na inquestionável
e incondicional expressão de autonomia no processo criativo,
proporcionando a quem lê o privilégio de se deparar com o que é
novo e que é capaz de acrescentar ao imaginário comum.
Assistimos, ao longo destas
páginas, à evocação de uma beleza extraordinariamente ampla
e livre, por resultar do que não é explícito, simplista ou gratuito,
condição imprescindível ao reconhecimento da arte...»
dias desiguais tem lançamento marcado para o próximo dia 1 de Julho, pelas 21horas, na freguesia de Artes S. Romão - Fafe, terra natal do autor.

Enviar um comentário

Mensagens populares