el sueño de la razon produce monstruos




Terminei, oficialmente, o meu novo livro. Ao fim de um ano e meio de muito trabalho, pesquisa e estudo, o livro, que tem como subtítulo o sonho da razão produz monstros, terminou, deixando toda a incomensurável angústia de vazio, dentro de mim...
Sinto que a escrita é um ser que cresce e devora a combustão dos corpos carbónicos, a tal ponto de substituir tudo o que ainda me resta de humano.
Aos poucos experimentei, aquilo que Isaac denominava de "experiência pensada", a transfiguração do ser em escrita, ao viajar na cabeça, repleta de pesadelos, de Goya e no prisma transfigural de Newton, aprendendo a conviver com os seres que são-no num corpo de escrita...
creio que esta é sem dúvida a melhor obra que construi... e crer não é falsa modéstia, porque como digo algures, no texto que hoje oficialmente findei:
o acreditar torna as coisas pesadas, em coisas bem mais leves...

Enviar um comentário

Mensagens populares