Mia Couto e o medo do escuro

encontrei Mia Couto e, como prometido, lá lhe perguntei pela história que me faltava, e era quase assim: aquando da apresentação da obra "O Gato e o Escuro", uma criança apareceu com uma frase escrita pela sua mão, retratando o medo que tinha do escuro. Abordou Mia Couto e ofereceu-lha. MC depressa compreendeu que aquela frase tinha sido retirada da dita obra e apressou-se a explicar a intenção da mesma à criança, mas logo de imediato foi colocada de lado essa pequena tentativa, pois a criança negou a autoria de Mia Couto, reafirmando que aquela frase tinha sido escrita por si.
Piada da história: a criança adquiriu e fluiu a frase de um novo sentido, de tal forma que tomou como seu o texto que lhe explicava e protegia da penumbra que temia. O poder das crianças face ao texto é incomensuravelmente criativo, não procuram explicações cientificamente plausíveis, mas sim a magia tangencial da palavra, nela sentindo-se protegida e acarinhada.
É caso para dizer que não andaríamos tão assustados se tomassemos, como nossas, algumas frases dos autores que gostamos, para com elas enfrentar o medo do escuro
Enviar um comentário

Mensagens populares