o norte-americano Steven Paul Smith, conhecido por Elliott Smith, cantor e compositor, é a primeira proposta de A Janela do Fundo. Facilmente encontramos nas composições de Elliott Smith uma diversidade harmoniosa dos instrumentos como guitarra, piano, clarinete, baixo, etc. com a sua voz algo taciturna e melancólica. Curiosas são as circunstâncias que envolvem a morte deste compositor, em 2003. Para saber mais clicar aqui.
A segunda proposta deste espaço é a do Irlandês Patrick Whelan, compositor de calmos sons de blues, com visíveis influências de Eric Clapton, Peter Green, entre outros. Para saber mais, aqui.
A última proposta, bem ao meu agrado, por evidenciar as novas tendências da música experimental que tanto me apraz. De facto, encontro-me constantemente a procurar experiências musicais de grupos inovadores, capazes de criar novas sonoridades, fugindo assim ao estandardizado. O grupo inglês Tunng é um bom exemplo do que aqui acabei de dizer, pois a sua música exterioriza uma diversidade de sons únicos e originais. Há quem os associe ao género de “folktrónica” (folk e electónica), por estes recorrerem, com frequência, dentro das suas composições, ao uso criativo e inovador de efeitos sonoros (sempre com bom gosto) e que só com uma boa aparelhagem conseguimos entender todo o jogo musical. Frequentemente encontramos nestes sons ruídos do quotidiano, barulhos do mar, sons estranhos, etc. Definitivamente um grupo de eleição entre as minhas escolhas
Para saber mais, aqui
visualize aqui um pequeno clip musical dos Tunng
Enviar um comentário

Mensagens populares