Nuno Seabra Lopes, no interessante texto Dia’crítico, fez-me ver um aspecto interessante nesta história dos suplementos literários que parecem ter terminado.
De facto, como diz o autor e a meu ver bem:

há hoje mais livros do que nunca, assim como gente com capacidade e vontade para fazer crítica, sendo que o único problema desta suposta «extinção» se encontra no «habitat natural» onde nos habituámos a vê-la.

Na verdade, os suplementos que faltam há-os agora, na Internet, para todos os gostos, mais transparentes, sem aparentes "jogos" directos dos livreiros, onde os pequenos podem partilhar espaços com os grandes, e os leitores podem deixar comentários e dar opiniões. Todos os dias, sinto-me enriquecido pelos suplementos literários que visito, dentro e fora de Casa, e que me dão a conhecer, a ler, a comprar, etc.
É caso para se dizer: mudam-se os tempos, mudam-se também os habitats…
2 comentários

Mensagens populares