Textos Mais Lidos

Outras Casas

Frase

Em breve...

Seguir por Email

Textualinos

Pesquisar neste blogue

Comentários

Recent Comments Widget for Blogger With Avatar For Blogger by Beautiful Blogger Widgets

 

 

+

 

RESPOSTA AO COMENTÁRIO

comentário ao "post" de 23 de Maio

C L Faria:
O que me incomoda é que todos embandeirem em arco com o que a imprensa lhes mete pelos olhos dentro, num consumo acrítico.
C.V.:
Com certeza, mas na frivolidade da comunicação há sempre um fundo de verdade, por isso leio e releio vários quadrantes jornalísticos, os da latitude e os da longitude, e no fim retiro as minhas conclusões.

C L Faria:
Todos os factos têm várias versões, mas a habilidade política do PSD trabalhou muito bem neste caso. Por mim acho que as pessoas sensatas deveriam tentar conhecer o caso na sua totalidade/complexidade em vez de se pronunciarem com tanta linearidade sobre uma realidade da qual desconhecem parte.
C.V.:
Não gosto de politica nem acredito em políticos. A política faz-me lembrar o jogo da cadeira, onde todos andam em redor como se não estivessem interessados, mas na verdade quando a música pára, desatam todos a correr para apanharem um assento. Acredito que o PSD tenha trabalhado no caso de Fernando Charrua, assim como o PS terá trabalhado, por exemplo, na saída de Marcelo da TVI. Afinal a cadeira da política é esta, um trabalho sub-reptício de casos, um jogo constante… ou não seria ela política. A sensatez e a idiotice são irmãs uma da outra, por isso não há linearidades correctas, e linha curva-se consoante os interesses e as fugas.

C L Faria:
Não comungo da ideia do lápis azul…

C.V.:
Este é um blog livre como o vento, está no seu direito e aceito sempre opiniões adversas, fazem-me de facto pensar…

C L Faria:

…mas sim de que até os mais informados, os, intelectuais e os que se acham mais críticos, caem na esparrela das meias "verdades" da comunicação social do mesmo modo que os menos cultos, menos, informados, consumindo acriticamente o que dão a conhece. Isto é que me mete medo no meu Portugal!

C.V.:

Não gosto da palavra intelectual. O intelectual é um homem com saberes feitos. Gosto mais de “ser pensante”, porque o pensamento é incerto e são as incertezas que geram a locomoção das aprendizagens. Realmente gostaria de saber a verdade que a comunicação social, segundo me disse, parece esconder. Mas o silêncio do governo, a meu ver, fomentou ainda mais a minha opinião do que a própria comunicação social. Saberá, por ventura, algo que possa aqui partilhar? É capaz de me elucidar acerca do assunto e tirar-me, por fim, das trevas?

0 comentários:

 

Um milhão de visitas

Este blog foi fundado em 13/01/05. Ao longo destes 8 anos passou um milhão de olhares pelos artigos e frases que aqui diariamente coloco. Já foi alvo de referência de vários órgãos de comunicação social, bem como de centenas de blogs e sites que visito ainda hoje com algum afecto. A todos um muito obrigado.

Contacto

vaz.correio@gmail.com