FOLHA DE INTERVENÇÃO ARTÍSTICA


o escritor Pompeu Miguel Martins convidou-me para participar no folhetim "Minotauro". Como o próprio subtítulo indica, trata-se de uma "Folha de Intervenção Artística", única no espaço literário e cultural do nosso país.
Há muito que tomei a postura de que a arte deve ter não só a função artística que lhe é nata como também o dever moral de educar a própria sociedade, sendo por isso capaz de formar opiniões críticas, combater a inércia dos dias, etc.
Na obra "Capricho 43", com que terminei a "Trilogia da Experiência", abordo precisamente a temática, através do encontro do homem-que-separa-as-águas com Goya. Da conversa entre os dois, sai a denúncia de que a arte precisa de criar espaços de educação dentro da sociedade sem referência. Esta folha vem, precisamente, originar um destes lugares de fomentação de opiniões, até agora ainda por preencher na nossa realidade nacional...
Para o "número zero" do folhetim Minotauro (preço simbólico), escolhi a relação do escritor contemporâneo com o Poder, e apelidei-o de: "Alguns Escritores são Criaturas Estúpidas"
1 comentário

Mensagens populares