UMA DEMOCRACIA DE PLÁSTICO OU PLASTIFICADA?

vi hoje, no noticiário da manhã, que Mario Soares se referiu à democracia portuguesa como sendo uma "democracia de plástico". Concordo perfeitamente. Tudo que se globaliza tem o mesmo efeito dos produtos cujas empresas se deslocalizaram para a China, estão cada vez mais feitos de plástico ( bonitos por fora, leves e mais frágeis por dentro, e o mais espantoso é que se encontram ao mesmo preço de sempre). Mas como se trata já de uma democracia reciclada, a verdade é que nem se quer a pudemos aproveitar de novo.
Não deixa de ser interessante como dois fundadores do partido socialista, Mário Soares e Manuel Alegre, travam uma luta moral contra o desvario do governo que nos obriga a correr e a trabalhar em nome de ideias ditas vanguardistas.
Numa democracia de plástico tudo é de plástico: a educação é de plástico, a saúde é de plástico, a política é de plástico, a comida é de plástico, as sapatilhas que nos deram para correr (atrás de uma Europa sem referendo) são totalmente feitas de plástico e foleiro. Só o meu voto é que já o não é, e por isso deixei de o plastificar há já muito (quem quiser que me entenda)

1 comentário

Mensagens populares