Hoje, uma família bateu-me à porta!

a quatro horas do primeiro ministro revelar ao país a nova austeridade, bateram-me à porta. Uma família bateu-me à porta, pediram-me algo para comer. Não eram os ciganos nem mendigos, uma família normal, como a minha e a tua, vestidos a rigor como se fossem para a missa. Pediram-me comida... 
nunca esperei ver isto no meu Portugal... tudo a quatro horas do primeiro ministro revelar a nova austeridade... dei-lhes o que tinha 
(isto não é literatura, aconteceu-me mesmo). Prometi não falar de crise neste blog, mas não me permito deixar passar isto, pois estou com o coração roto e as caras envergonhadas na memória.
Já agora, leiam o artigo "un cañon en el culo" sobre o terrorismo económico às famílias
3 comentários

Mensagens populares